Retrospectiva 2017: Ministério dos Transportes conclui 26 obras de grande porte este ano

Numa série em seis episódios que podem ser assistidos no site do MTPA e nas redes sociais, o ministro faz uma retrospectiva sobre 2017, fala sobre as concessões, prorrogações antecipadas e muito mais.

Terminado 2017, o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil entregou 26 obras consideradas de grande porte, incluindo os modos rodoviários, aeroviário e aquaviário (hidrovias e portos). Este ano, também foram realizados os leilões dos aeroportos de Fortaleza (CE), Salvador (BA), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), além dos terminais portuários de Santarém (STM04 e 05), no Pará, e o Terminal de Trigo do Rio de Janeiro. Ao todo, o governo federal vai receber mais de R$ 4 bilhões em outorgas. Na série, o ministro fala sobre as principais informações, entregas e ações da Pasta para cada modo de transporte.

PRINCIPAIS AÇÕES – Na área de concessões, além dos sete leilões realizados, foram qualificados 13 aeroportos para a próxima rodada. No setor portuário, houve mais de cinco prorrogações antecipadas de contratos, em 2017, e a qualificação de outros 15 terminais para arrendamento e prorrogação.

No setor aéreo foram 31 convênios com estados e prefeituras para investimentos em aeroportos regionais. No caso dos terminais administrados pela Infraero, foi concluída a obra no Aeroporto de São Luís (MA) e está em fase final os aeroportos de Vitória (ES), Rio Branco (AC) e Cuiabá (MT). Além do crescimento da demanda de passageiros e de cargas.

O setor rodoviário, por sua vez, teve mais de 480 quilômetros de trechos e lotes duplicados e pavimentados em todo o Brasil. Mesmo com o cenário de restrição orçamentária, 87% da malha federal estão coberta por contratos de manutenção.

No caso das ferrovias, houve a conclusão do túnel de Jequié (BA), com 780 metros, na Ferrovia Integração Oeste-Leste (FIOL) e os investimentos na Ferrovia Norte-Sul, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP), que está com o leilão previsto para o segundo semestre de 2018.

Já os números do Fundo da Marinha Mercante (FMM) mostram que foram construídas 74 embarcações, sendo 67 barcaças para operação no Arco Norte, e também a construção e ampliação de estaleiros.

Na área de portos foram concluídas duas dragagens, outras duas estão em andamento e três licitadas. Soma-se a isso a conclusão de obras de infraestrutura. Em relação às hidrovias, duas dragagens realizadas, no Rio Madeira e no Rio Paraguai. Também foi autorizado o início do decorramento do Pedral de Nova Avanhandava, em São Paulo.

Fonte: Segs

Deixe seu comentário

Comentários:

Leia também:

Enquete


Gostou do novo Site do Jornal Portuário





videos