Container Ecology Store Santos

Portos nacionais à beira dos três milhões de TEU

Portos nacionais à beira...

Os portos do Continente movimentaram 2,97 milhões de TEU em 2017, 8,4% acima do recorde de 2016, divulgou a AMT. Sines liderou destacado, com uma quota de 56%, alavancado pelo transhipment.

Lisboa foi o porto que mais cresceu, em termos homólogos, tendo avançado 26,6% e  ficado muito perto do meio milhão de TEU (495 mil 315). Sines avançou mais 10,3% e ficou sobre os 1,7 milhões de TEU (1 669 057).

Ao invés, Leixões recuou 3,8% para os 633 273 TEU e Setúbal cedeu 2,6% para os 152 483. Pela Figueira da Foz passaram 24 512 TEU (-0.7%).

O porto da capital continuou a recuperar das perdas infligidas nos últimos anos (e em particular em 2016) pela crise laboral. Uma recuperação que afectou os portos de Leixões e Setúbal (mais aquele do que este), que em 2016 receberam cargas “fugidas” do Tejo.

No caso de Sines, a AMT destaca o peso dos movimentos de transhipment, que representaram 79,4% do total do porto alentejano e, por arrastamento, já valeram 44,5% do movimento de contentores no conjunto dos portos do Continente.

No ranking ibérico, Sines, mesmo a crescer a dois dígitos, acabou o ano mais longe do terceiro lugar, por força da excepcional performance de Barcelona, que foi o porto que mais cresceu (cerca de 30%) neste segmento em toda a Europa.

Recuo de 16% em Dezembro

Em Dezembro, o movimento de contentores beixou 16% e ficou-se pelos 219 mil TEU. E assim se gorou o atingir da fasquia dos três milhões de TEU.

A “culpa” foi de Sines, que recuou 24,4% e se quedou nos 117 225 TEU. Mas também de Leixões, a ceder 7,9% para 48 mil TEU. E até de Lisboa, que interrompeu a recuperação e cedeu 0,8% com 39 mil TEU.

Em sentido contrário, Setúbal avançou 2% e superou os 12 mil TEU e a Figueira da Foz cresceu quase 53% até perto dos 2 400 TEU.

 

 

Fonte: Tranportes e Negócios

Deixe seu comentário

Comentários:

Leia também:

Enquete


Gostou do novo Site do Jornal Portuário





videos